Bovespa fecha em alta de quase 3%, com cena externa positiva e cenário eleitoral

O principal índice da bolsa brasileira, a B3, fechou em alta nesta terça-feira (16), após divulgação da pesquisa Ibope para presidente na noite de segunda-feira e em meio ao avanço dos mercados acionários no exterior.

Ibope para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%

O Ibovespa subiu 2,83%, a 85.717 pontos. Na mínima do dia, marcou 83.420 pontos. Na máxima, foi a 85.549 pontos.

No exterior, as bolsas na Europa e Estados Unidos encontraram suporte em resultados corporativos, entre eles o do banco Morgan Stanley, embora persista a tensão envolvendo a Arábia Saudita e o desaparecimento de um jornalista após entrar no consulado saudita na Turquia.

O dólar fechou em queda nesta terça-feira, no patamar de R$ 3,70, acompanhando a trajetória da moeda norte-americana no exterior e com o mercado atento à movimentação no cenário eleitoral.

Na véspera, o Ibovespa subiu 0,53%, a 83.359 pontos.

Destaques

Petrobras subiu mais de 3%, apesar da fraqueza dos preços do petróleo, ainda na esteira de expectativas mais favoráveis para o Brasil no contexto eleitoral. A petrolífera de controle estatal também assinou com a CNODC, subsidiária da chinesa CNPC, acordo para conclusão das obras da refinaria do Comperj e investimentos no cluster de Marlim, na Bacia de Campos.

Vale ficou praticamente estável, depois de dois pregões seguidos de alta. O presidente da maior produtora global de minério de ferro, Fabio Schvartsman, disse que a Vale busca atualmente empenhar o seu caixa na política de dividendos, para remuneração de acionistas, e planeja comprar ações de tempos em tempos.

Smiles avançou quase 8% em sessão de ajuste, após despencar quase 40% na véspera, quando foi afetada pelo anúncio da sua controladora, a companhia aérea Gol, de que não pretente renovar acordo com a empresa de programa de fidelidades, bem como planeja incorporá-la, dentro de uma ampla reorganização societária. GOL PN subiu quase 15%.