Bovespa passa a cair; BRF reduz ganhos após restrições da UE ao frango

O principal índice de ações da bolsa brasileira (B3) passou a cair nesta quinta-feira (19), após disparar na véspera. A sessão é marcada pela alta de commodities, mas viés misto no exterior, com BRF em dia de alta volatilidade diante de expectativas de mudanças no seu conselho de administração e proibições de exportações de frango do Brasil pela União Europeia.

Às 15h06, o Ibovespa caía 0,35%, a 85.474 pontos.

Na quarta-feira (18), o índice subiu 2,01%, a 85.776 pontos, em linha com o avanço de bolsas e commodities no exterior e com investidores atentos ao início temporada de balanços corporativos no Brasil.

Destaques

As ações ordinárias da BRF chegaram a subir mais de 8%, mas reduziram os ganhos para cerca de 4%, liderando as altas dentro do Ibovespa após a notícia de que Pedro Parente, presidente da Petrobras, foi indicado por Abilio Diniz para substituí-lo na presidência do conselho de administração da fabricante de alimentos.

Após a divulgação de que a União Europeia proibiu 20 frigoríficos brasileiros de exportar para a região, a maioria deles da BRF, a ação perdeu força. Por volta das 13h30, o papel subia 2,47%, sendo superado pela alta das ações de Usiminas e Smiles.

Com as altas recentes, a BRF recuperou uma pequena parte de seu valor de mercado, mas ainda acumula queda de 37,05% no preço de suas ações no ano, considerando o preço de fechamento da véspera. Em 12 meses, a desvalorização é de 43,27%, segundo dados da provedora de soluções financeiras Economatica. A queda ocorre na esteira da Operação Carne Fraca, de embargo a exportações e conflitos internos da administração da empresa.