Economia global mostra vigor, mas precisa ser inclusiva, diz Banco Mundial

O presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, afirmou em discurso em Washington nesta quinta-feira, 19, que a economia global "mostra um impulso sólido". O Banco Mundial projeta crescimento de 3,1% no mundo em 2018, no patamar mais forte desde 2011, com recuperação nos investimentos, no setor manufatureiro e no comércio.

"O desafio agora é garantir que o crescimento forte se traduza em crescimento inclusivo, de modo que os benefícios da integração econômica global sejam sentidos por todos os membros da sociedade", defendeu.

A autoridade afirmou que o "crescimento robusto" é uma grande oportunidade para se investir em capital humano. Ele citou medidas como gastos em infraestrutura, melhora na educação e na saúde e o aumento da força de trabalho feminina que podem continuar a apoiar o crescimento. Isso poderia facilitar as metas de redução da extrema pobreza e garantir uma prosperidade mais compartilhada, argumentou.

Jim Yong Kim reafirmou a missão do Banco Mundial de erradicar a pobreza. Lembrou ainda a expectativa pela reunião anual da entidade, em outubro na Indonésia. Segundo ele, o encontro representará uma oportunidade para se avançar no Projeto Capital Humano, uma medida "rigorosa, detalhada" do capital humano em cada país, que pode ajudar as nações a investir mais na própria população.