Indicador da economia sobe em março

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, divulgado ontem (17) pelo FGV IBRE e pelo The Conference Board (TCB), avançou 0,3%, entre fevereiro e março, alcançando 117,6 pontos. Das oito séries componentes, quatro contribuíram para a alta do indicador, com destaque para o Swap 360 (invertido), que subiu 5,5%.

Já o Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE, FGV TCB) do Brasil, que mensura as condições econômicas atuais, recuou suavemente ao variar -0,1% no mesmo período.

"O desempenho negativo do ICCE em março reflete a fraqueza de vários indicadores recentes do nível de atividade", afirma Paulo Picchetti. "Entretanto, a variação positiva do IACE permite afirmar que a reversão do atual ciclo de expansão ainda é pouco provável", continua o especialista, em nota.

Para os economistas do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), já era esperada uma lenta recuperação da economia brasileira, “mas nem por isso deixa de chamar atenção a falta de dinamismo na entrada de 2018”. “Os resultados tanto de janeiro como de fevereiro mostram que o ano começou com o pé esquerdo”, entendem.