Superávit de US$ 1,746 bilhão na balança comercial da segunda semana de outubro

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 1,746 bilhão na segunda semana de outubro de 2018, que teve quatro dias úteis. O saldo é resultado de exportações no valor de US$ 4,467 bilhões e importações de US$ 2,721 bilhões.

No mês, as exportações somam US$ 9,519 bilhões e as importações, US$ 6,460 bilhões, com saldo positivo de US$ 3,059 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 189,178 bilhões e as importações, US$ 141,805 bilhões, com superávit de US$ 47,374 bilhões.

A média das exportações da segunda semana chegou a US$ 1,1 bilhão, valor 10,5% acima da média de US$ 1 bilhão da primeira semana, em razão do crescimento nas exportações de produtos semimanufaturados (86%) e manufaturados (12,4%). Na primeira categoria de produtos, o destaque foi a venda de açúcar de cana em bruto, ferro fundido, semimanufaturados de ferro/aço, madeira serrada ou fendida e celulose. Entre os produtos manufaturados cresceram, principalmente, os embarques de tratores, torneiras, válvulas e dispositivos semelhantes e partes, aviões, máquinas e aparelhos para terraplanagem, perfuração e suco de laranja não congelado.

Por outro lado, diminuíram as vendas de produtos básicos (-7,9%), por conta de soja em grãos, minérios de cobre e seus concentrados, milho em grãos, minérios de manganês e seus concentrados e farelo e resíduos da extração de óleo de soja.

Do lado das importações, a média da segunda semana (US$ 680,2 milhões) teve queda de 9%, sobre a média da primeirasemana (US$ 747,8 milhões), explicada, principalmente, pela diminuição nos gastos com combustíveis e lubrificantes, aeronaves e peças, filamentos e fibras sintéticas, plásticos e obras e cobre e suas obras.

Análise do mês

As exportações, comparadas as médias até a segunda semana de outubro (US$ 1 bilhão) com a de outubro de 2017 (US$ 898,7 milhões), registraram crescimento de 17,7%, em razão do aumento nas vendas das três categorias de produtos: básicos (26,2%), semimanufaturados (23,7%) e manufaturados (10,4%). Relativamente a setembro de 2018, houve aumento de 5,4%, em virtude do crescimento nas vendas de produtos semimanufaturados (17,4%) e manufaturados (11,4%), enquanto caíram as vendas de produtos básicos (-1,3%).

Nas importações, a média diária até a segunda semana de outubro de 2018, de US$ 717,7 milhões, ficou 10,2% acima da média de outubro de 2017, que foi de US$ 651,4 milhões. Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com adubos e fertilizantes (68,7%), químicos orgânicos e inorgânicos (36,7%), farmacêuticos (26,5%), combustíveis e lubrificantes (12,1%) e equipamentos mecânicos (9,1%). Na comparação com setembro deste ano, houve diminuição nas importações de 3,4%, pela queda nas compras de adubos e fertilizantes (-33,4%), siderúrgicos (-27,9%), cereais e produtos da indústria de moagem (-19,8%), veículos automóveis e partes (-13,3%) e equipamentos eletroeletrônicos (-2,5%).